RISCOS E CATÁSTROFES:

(Exclusivos para Professores de Educação Pré-Escolar, Ensinos Básico (1.º, 2.º e 3.º Ciclos), Secundário e de Educação Especial, do Sistema de Ensino Português)
(Circular de Divulgação Cartaz Geral)
Mais informações sobre o CFPR – Centro de Formação de Professores da RISCOS

Pedida a Acreditação CCPFC
Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua

Cursos de Formação de Atualização: Colóquios, congressos, simpósios, jornadas ou iniciativas congéneres

CFA 6: Risco de Cheias e Risco de Inundações Fluviais

|  Carga horário: 12,5 horas   |   código CCPFC: 000000   |    ver certificado e condições

Conteúdos

A nível mundial, as cheias e as consequentes inundações fluviais são as catástrofes mais comuns, representando 44% das manifestações registadas entre 2000-2019, segundo a UNDRR. À escala europeia, nas últimas décadas, as cheias e as inundações representaram cerca de 1/3 das perdas causadas por fenómenos naturais e, na União Europeia, os respetivos custos anuais médios ultrapassam 4 mil milhões de euros.

Também na região mediterrânea, as cheias e inundações são consideradas as catástrofes com maior potencial de destruição, sendo as que causaram o maior número de vítimas mortais e os danos materiais.

Em Portugal, as cheias e as inundações foram, de igual modo, o fenómeno natural mais frequente e mortífero durante o último século. Na bacia do Mondego, à semelhança de outras bacias do território nacional, as cheias e as inundações são seculares e, apesar das obras de regularização realizadas na bacia hidrográfica, continuam a ocorrer, provocando avultados prejuízos.

Assim, com o presente curso pretende-se colocar a comunidade científica, agentes de proteção civil, os órgãos de soberania regionais/locais, os professores do EB/S e a população em geral, a refletir sobre os processos eminentemente naturais, que conduzem à ocorrência de cheias e de consequentes inundações, a que se associam outros fatores desencadeantes ou agravantes, de origem antrópica, mas também sobre da importância que um eficaz planeamento e ordenamento do território pode ter na redução destas catástrofes.

Objetivos

Este curso formação, destinado a Professores do Pré-Escolar ao Ensino Secundário e Educação Especial, visa aprofundar os conhecimentos científicos sobre os risco de cheias e de inundações fluviais, dando particular ênfase ao estudo da bacia do rio Mondego, a qual, apesar de parcialmente regularizada, é frequentemente afetada por eventos catastróficos. Objetivos a atingir:

  • Compreender os processos envolvidos na manifestação do risco de cheia e avaliar as vulnerabilidades que potenciam a manifestação do risco de inundação fluvial;
  • Conhecer os mecanismos de resposta em situações de crise (resposta de emergência e recuperação), através de estudos de casos;
  • Conhecer ações de prevenção e proteção contra o risco;
  • Discutir os impactes provocados pelas cheias e inundações fluviais;
  • Analisar in situ os processos associados à manifestações do risco e discutir as medidas implementadas com o objetivo de mitigar a sua manifestação;
  • Transpor os conhecimentos técnico-científicos para contexto de sala de aula, com o intuito de sensibilizar para a redução do risco de inundações fluviais.

Formadores

Luciano Lourenço
Professor Catedrático da Universidade de Coimbra
António Avelino Batista Vieira
Professor Auxiliar da Universidade do Minho
João Luís Jesus Fernandes
Professor Auxiliar da Universidade de Coimbra

Adélia de Jesus Nobre Nunes
Professora Associada c/ Agregação da Universidade de Coimbra
Fátima Velez de Castro
Professora Auxiliar da Universidade de Coimbra

Destinatários

Professores dos Grupos de Recrutamento:
100 – Educação Pré-Escolar;
110 – Ensino Básico – 1.º Ciclo;
230 – Matemática e Ciências da Natureza;
420 – Geografia;
520 – Biologia e Geologia;
910, 920 e 930 – Educação Especial

Regime e Frequência

As sessões realizam-se presencialmente, a não ser que sejam impostas medidas de contingência associadas ao contexto de COVID19. Nesse caso, os cursos decorrerão por videoconferência.

Inscrição

Deverá preencher o formulário de inscrição do XIV Encontro Nacional de Riscos e assinalar a opção do curso de formação.
Até 31 de Maio: 30€ | 1 a 30 de Junho: 40€ | A partir de 1 de Julho: 50€

Sessões

  1. Conferência de abertura do XIV Encontro Nacional de Riscos: “Contributos do Laboratório de Hidráulica da Universidade de Coimbra para o estudo das Cheias do Mondego” (16/07/2021, 1 hora)
  2. Sessão simultânea de comunicações (16/07/2021, 2 horas)
  3. Sessão de Posters (16/07/2021, 0,5 horas)
  4. Mesa-redondaDesafios à gestão do risco de cheias para evitar/reduzir as inundações no Baixo Mondego” (16/07/2021, 2 horas)
  5. Conferência de Encerramento do XIV Encontro Nacional de Riscos: “Análise dos impactes das grandes cheias do Mondego nos últimos 700 anos” (16/07/2021, 1 hora)
  6. Visita Técnica, pedonal, à Baixa de Coimbra – área ribeirinha (17/07/2021, 4h)
  7. Workshop para Professores – transposição didático-pedagógica dos conteúdos científicos para o contexto de sala de aula (17/07/2021, 2h)

Avaliação

Este curso realiza-se por avaliação contínua, tendo em conta as seguintes modalidades:

  1. Assiduidade e participação nos vários momentos do curso de formação (1,5/10 valores);
  2. Realização de “Relatório” sobre os conteúdos do curso de formação (8,5/10):
    • Utilização adequada de terminologia científica (4/10);
    • Capacidade crítica e argumentativa (3/10);
    • Organização e estética (1,5/10)