Desafios à gestão do risco de cheias para evitar/reduzir o risco de inundações no Baixo Mondego

Pretende-se colocar não só a comunidade científica, mas também os agentes de proteção civil, os órgãos de soberania regionais/locais, os professores dos ensinos básico e secundário e a população em geral, a refletir sobre o que fazer em caso de situações de catástrofe provocadas pela manifestação do risco de cheias e do consequente risco de inundações fluviais, aprendendo com o passado para melhorar o presente e o futuro, bem como para tomarem consciência de que a frequência e a intensidade destes eventos hidrológicos excecionais terão tendência para aumentar no futuro e afetar um número crescente de pessoas e bens.

Contará com a participação de reputados especialista, responsáveis pelas principais entidades envolvidas, que abordarão os seguintes temas:

“O Aproveitamento Hidráulico do Mondego e a redução do risco de inundação do Baixo Mondego”

Administração da Região Hidrográfica do Centro
Agência Portuguesa do Ambiente

“A gestão de caudais na barragem da Agueira. Como conciliar a produção de energia elétrica com a redução do risco de inundações no Baixo Mondego? “

Eng.º Vítor Silva
Diretor da Área de Gestão de Operação
Direção do Centro de Produção Tejo-Mondego
EDP – Gestão da Produção de Energia, S.A.

“As operações de socorro nos diferentes contextos de manifestação do risco de inundação na bacia hidrográfica do rio Mondego”

Mestre Carlos Luís Tavares
Comandante Operacional Distrital do CDOS-Coimbra
Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil

“As intervenções do Serviço Municipal de Proteção Civil na mitigação do risco de inundação: antes, durante e após a sua manifestação”

Dr. Emílio Torrão
Presidente do Município de Montemor-o-Velho